Bibliorodas de Quixadá: “Caminhando e cantando e seguindo a canção”

Parte I

Lena e Romário

 “Caminhando e cantando e seguindo a canção”… até dizem que não é de bom grado começar um texto com uma citação. Porém, é exatamente com a letra da canção de Vandré que o inicio, pois temos nos identificado muito com ela, nos três últimos meses (setembro, outubro e novembro do ano de 2013); estamos aqui tão somente para o caminhar e, com isso, aprender. É assim que vemos a ideia do BIBLIORODAS crescer em nossa cidade: um aprendizado.  E não me venha você dizer que não sabe ou que nunca ouviu falar desse projeto em nossa muito querida Quixadá.  Não? O que estava a fazer enquanto estávamos a circular com carrinhos de livros e aventais pelas ruas da cidade? Pois bem, esteja atento para a descrição de grandes memórias.

lena.Nossas manhãs de sábado tomaram um novo rumo, um novo caminho; embora por vezes a canção perdesse a melodia, fazendo com que a desarmonia e o desequilíbrio roubassem o brilho da canção, estamos seguindo na caminhada, buscando sempre levar aos leitores a compreensão. Querem mesmo saber o que nos motiva?  O brilho nos olhos, a história lida e contada, o sorriso que nos agrada, a amizade aflorada, a dúvida que nos aguarda. Toda circulação é assim: a ansiedade nos corrói, enquanto no Mercado Central e por toda a Galeria, leitores nos aguardam para juntos trocarmos livros; ah, pudéssemos nós, e eles, ficaríamos horas batendo papo, discutindo ideias, compartilhando saberes, conquistamos novos leitores.

Mas, afinal que tipo de livros carregamos? carrinhoDe Marx e Engel, da poesia de Cordéis, Pessoa e Drummond, de Aluísio de Azevedo, Machado de Assis, Rachel de Queiroz, tem também a família Veríssimo. Contamos ainda com um pequeno acervo sobre nosso país com: Gilberto Freyre, Sergio Buarque de Holanda e Darcy Ribeiro. Ah, e como não lembrar o escritor e fundador da Academia Quixadaense de  Letras – AQL. João Eudes Costas, grande memorialista de nossa terra e incentivador do projeto BIBLIORODAS na cidade.

A memória que segue abaixo foi de uma manhã quente de sábado, 16/11/2013. Romário tocava flauta doce enquanto Ingrid e eu seguíamos no trabalho com os leitores. ingridFoi tudo tão encantador…  mas percebia uma tristeza no olhar dos leitores, não sei se por conta do final de ano, ou por conta da melodia que seguíamos, doía em mim, e depois vi que Ingrid sentia a mesma vibração; era a ausência de algo, era a esperança a caminho, era a poesia na música, era a luta de quem em meio aos trabalhos diários parava para debruçar-se em nosso carrinho, buscando até o último livro, um afago, um amor, um carinho. Ao retorno  à biblioteca conversávamos sobre o ocorrido, e eis que minha memória me traz de volta a primeira frase que nos foi apresentada pelas  idealizadoras do projeto, (Clara e Edna) durante o mês de Julho de 2013:

“Dentro de nós há uma coisa que não tem nome. Essa coisa é o que somos”

José Saramago.

por Lena Lázaro.

Parte II 

Ingrid e Romário

Sarau Poético – encerramento atividades 2013

Depois de termos lido o belíssimo texto acima, quero também escrever um pouco de como foi o encerramento do projeto nesse ano (próximo ano tem mais…).

Pois bem. Como não poderíamos passar de ano sem comemorarmos, resolvemos fazer um momento simbólico apresentando o Bibliorodas dentro de outro evento que eu estava organizando: o Sarau no Sítio, em um ponto turístico de Quixadá que está precisando de restauração e de mais visibilidade e  com esse evento buscamos chamar a atenção da população e das autoridades competentes.

No último sábado estive convidando os nossos leitores a se fazerem presentes neste evento, em que também seria o encerramento Bibliorodas 2013. Compareceu apenas um leitor, mas não tirou o brilho do evento, pois assim também podemos apresentar o projeto a quem não o conhecia.

bolsa

Tivemos vários momentos de músicas, de performances de poemas, altas poesias. Logo após, apresentamos o projeto aos participantes, que gostaram bastante de tudo. E no final, foi sucesso como sempre!!!

Agora é só esperar, pois 2014 será um ano cheio de leitura, e vamos nessa:

Bibliorodas é ação!

1522165_270943349697012_1258363699_n

 

 

 

 

 

 

leitor3

 

 

 

 

 

 

 

romario tocando.

 

 

 

 

 

por Romário Oliveira

Anúncios
Publicado em Quixadá | Deixe um comentário

As Bibliorodas em 2013: o imprevisível, a surpresa e o descobrimento!

“Impossível qualquer explicação: ou a gente aceita à primeira vista, ou não aceitará nunca: a poesia é o mistério evidente. (…) E, embora evidente, traz sempre um imprevisível, uma surpresa, um descobrimento.” Mario Quintana 
Ceilândia, 14 de dezembro de 2013.

Ceilândia, 14 de dezembro de 2013.

No último sábado, 14 de dezembro, encerramos as atividades das Bibliorodas deste ano. Além da exposição de fotos dos locais por onde passamos neste ano, sorteamos para os feirantes de Ceilândia, 50 livros novos. E terminamos o ano com muitos motivos para celebrar.

Fazendo um rápido balanço do que foi o nosso ano de 2013, há muito a agradecer. Ao todo foram realizadas mais de 50 circulações literárias. Estivemos em seis cidades, sendo quatro municípios no Ceará e duas cidades no DF. Registramos, ao longo do ano, o empréstimo de mais de 750 livros. Foram realizadas, também, cinco Oficinas de Sensibilização de Leitores, e foram formados  88 sensibilizadores. Na verdade, fizemos 88 parceiros! As oficinas foram momentos de grande aprendizagem, principalmente para nós.

Nas redes sociais pudemos interagir com várias pessoas e foi possível registrar e divulgar grande parte dessa história. Ao longo deste ano, foram disponibilizados 15 vídeos do Projeto Bibliorodas em nosso canal do You Tube (https://www.youtube.com/channel/UC5KpvVRv02Jkz81FCcAbdQg).

Neste blog foram publicados 48 posts, os quais foram visualizados mais de 7.300 vezes até hoje. No grupo Bibliorodas do Facebook está conectada uma rede de amigos e colaboradores que soma 444 membros.

Mas, o que mais nos alegrou ao longo deste ano foi a mobilização de voluntários e as doações. Foram mais de 2.000 livros recebidos (e olha que nossa meta era conseguir 400 livros), e para realizar nossas atividades, contamos com a colaboração direta de pelo menos 20 pessoas, sem contar os colaboradores que continuam as circulações lá no Ceará.

Sorteio de Livros - Ceilândia

Sorteio de Livros – Ceilândia

Fazemos este balanço e nos emocionamos com o carinho com o qual o projeto foi e continua sendo recebido. Estamos felizes porque o Projeto Bibliorodas, além de ter rodas para correr o mundo, conta hoje com muitos amigos que ajudam a movimentar esse sonho. O Bibliorodas é essa vontade de sair por aí oferecendo leitura. Temos orgulho dessa ideia estar girando, ganhando novas formas e conquistando mais leitores.

Há tanto o que agradecer, são tantos nomes e instituições, mas mesmo correndo o risco de esquecermos de alguém, pedimos licença para registrar o reconhecimento de  algumas ações, pessoas e instituições, sem as quais o Projeto não teria chegado a tantos lugares com tanta disposição.

Agradecemos ao apoio da FUNARTE e da Fundação Biblioteca Nacional, pelo Prêmio recebido em 2012, cujos recursos possibilitaram toda a expansão do Projeto em 2013. Agradecemos às Prefeituras e Secretarias de Educação e Cultura dos Municípios de Banabuiú, Quixadá, Quixeramobim e Senador Pompeu, no Sertão Central do Ceará. Agradecemos imensamente a acolhida e apoio do Shopping Popular de Ceilândia. Agradecemos aos colaboradores: Ana Maria Lima; Cida Bomtempo; Estevon Nagumo; Hosana Paz; Jaqueline Nobre; Marcela Tibes; Kelly Paixão; Margareth Villalba; Rafael Batista;  Romont Willy; e todos aqueles que dividiram conosco a alegria das atividades realizadas em 2013. Agradecemos aos amigos que fizemos no Sertão Central do Ceará e aos amigos aqui do DF com quem sempre podemos contar. Agradecemos a todos os doadores de livros  e agradecemos aos poetas, escritores e leitores que fazem a literatura estar viva.

 Que venha 2014!

Ceilândia, dezembro de 2014

Ceilândia, dezembro de 2013

Clara Etiene e Edna Freitass

Publicado em Ceilândia | 2 Comentários

Pequenos voluntários, grandes leitores!

DSC07161

Pequenos leitores, Rafaela e Ricardo também são  doadores de livros. Já recebemos algumas doações desses pequenos. A última chegou  em um pacote, trazido pela avó. Eram nada mais, nada menos que 30 livros. Livros  lidos e bem conservados.

Em nossa última Expedição Literária, no dia 26/10, os dois irmãos vieram  realizar um desejo antigo: participar de uma Expedição das Bibliorodas.

DSC07191Ricardo, com desenvoltura, emprestou e recolheu livros. Transitou  com alegria e responsabilidade no trato com os nossos leitores feirantes.  Rafaela ajudava a organizar os livros nos carrinhos com doçura e entusiamo. Seus olhinhos  brilhavam com cada livro do Cardápio Literário existente nos carrinhos.

Rafaela não resistiu. Ficou embevecida com tantas opções literárias ao seu alcance e, em um certo momento, ali mesmo, agarrou um dos livros e entregou-se à leitura… A pequena saiu andando e lendo entre os boxs.

Os feirantes olharam com simpatia àquelas crianças que fizeram parte da Expedição.

Para nossa alegria, antes da expedição chegar ao fim, Ricardo tambDSC07186ém escolheu um livro  para levar emprestado.  Mas antes de subirmos até a Torre A para guardar nossas Bibliorodas, Ricardo nos surpreendeu com a seguinte pergunta:

_ O que eu preciso fazer para ser voluntário???

Não temos a resposta pronta para essas perguntas, mas aprendemos com esses dois pequenos leitores que, tão importante quanto conhecer o mundo da leitura, é se reconhecer na relação com os outros.

Às vezes criamos tantas desculpas, regras, condições para complicar o que é simples… Ricardo e Rafaela chegaram e atuaram com dedicação e entusiasmo, uma aula de solidariedade e simplicidade.

Sejam bem-vindos, pequenos voluntários, e voltem quando quiserem!

Colaboradores desta expedição: Edna, Clara, Rafaela e Ricardo

Publicado em Ceilândia | Deixe um comentário

Do-ação de livros! Do-ar: livros!

Às vezes parecem que eles têm asas e chegam às nossas mãos por meio de um místico encantamento. Livros voam, flutuam pelo ar e pousam vez em quando nas mãos dos leitores.

No início deste ano iniciamos uma campanha de arrecadação de livros. Em junho, mais de 900 livros já haviam chegado a nós por intermédio da Rede de Amigos do Bibliorodas. No Sertão Central do Ceará os livros foram distribuídos pelos quatro municípios: Banabuiú, Quixadá, Quixeramobim e Senador Pompeu. Montar um acervo mínimo para a circulação das Bibliorodas nessas localidades, em julho já era uma missão cumprida!

Mas, a Campanha continuou e conquistou mais amigos e os livros foram chegando, chegando e não pararam mais de chegar.

Doações para o Bibliorodas

Doações para o Bibliorodas

Um dia, via Correios, um pacote… e depois outros – com dois, três, seis ou sete livros, endereçados ao Bibliorodas. Chegam livros de diferentes partes do Brasil e nós ficamos imaginando como eles chegaram até nós. Cada doador, muitas vezes um desconhecido, seleciona, embala, envia a remessa pelos Correios e, finalmente, os livros acabam batendo aqui no coração do Projeto Bibliorodas. Receber cada pacote é, ao mesmo tempo, um sacolejo de esperança e um afago de carinho.

E os amigos??? Não queiram saber, são tantos doadores amigos que sairam por aí pedindo e juntando livros para o Bibliorodas que a Campanha também criou asas. A depender do doador, quando preciso, vamos até a sua casa buscar as jóias da leitura.
Na Ceilândia, os nossos leitores do Shopping Popular, também já são doadores.

Neste mês de outubro duas ações nos emocionaram. A primeira foi quando um amigo aqui de Brasília, o Tarlei, resolveu aproveitar o lançamento de seu primeiro livro de crônicas para fazer uma campanha de arrecadação para o Bibliorodas.

tarlei

No dia do lançamento, fomos até lá e vimos naquele instante um gesto que simboliza o espírito do doador de livros. A segunda ação aconteceu ontem, dia 24 de outubro, no Projeto CineCult BPW, a colega Iria Martins convidou o projeto Bibliorodas para uma Sessão de Cinema. Para nossa surpresa, os demais convidados já traziam em suas mãos livros para nos doar.

 

 

DSC07140

 

 

 

 

 

O sucesso da Campanha Doe um Livro, superou em muito nossas expectativas. A ação que começou com data prevista para terminar se consolidou permanente. E assim, o Bibliorodas se apropriou dessa Rede de Amigos como os legítimos fornecedores dos mais variados sabores que hoje compõe o Cardápio Literário do Bibliorodas.

Para nossa felicidade, as doações, de livro em livro, se multiplicam e nos ensinam um pouco sobre desapego, caridade, altruísmo e humanidade.

Por Edna Freitass e Clara Etiene

Publicado em Ceilândia, Colaboradores | Deixe um comentário

“Quase Nada”, lançamento dia 11 de outubro em Brasília, com direito a Bibliorodas…

O amigo das Bibliorodas, Tarlei Martins, lançará seu livro de crônicas “Quase Nada” no próximo dia 11 deste mês, no Espaço Chatô – Lugar de Cultura, no SIG Quadra 2, Lote 340, Bloco 1 Térreo, Sede Correio Braziliense.

tarlei

“Neste livro você vai encontrar anotações sobre quase tudo,além de intertextualidades explícitas, folias semióticas e outras mumunhas mais. Pra ser sincero, você vai encontrar quase nada. Bora ler? Não vai custar quase nada. Dou minha palavra!”
Tarlei Martins

Na oportunidade, as Bibliorodas estarão por lá arrecadando doações de livros. Essa ideia foi uma iniciativa do próprio Tarlei. Nós agradecemos o espírito de solidariedade e adesão ao nosso Projeto de sensibilizar leitores.

Venham prestigiar e tragam livros de literatura para doar, estamos precisando principalmente de livros de poemas.

Publicado em Ceilândia | Deixe um comentário

Resultado do Concurso Relâmpago

DSC06111

A vencedora do Concurso Relâmpago é Mayara Albuquerque, de Quixeramobim. Mayara nos enviou um relato das Circulações das Bibliorodas no Mercado Cultural e Mercado da Carne em Quixeramobim.  São destaques no texto de Mayara a atitude do leitor e a paixão em compartilhar a experiência da leitura literária. Parabéns, Mayara, estamos felizes demais em saber que vocês estão semeando a paixão pelos textos literários com o povo de Quixeramobim.

Prêmio para o texto vencedor:

Kit contendo. 3 livros novinhos utilizados nas Oficinas de Sensibilização de Leitores: “Deixem que  leiam”; “Como um romance”; e mais um à escolha do premiado;
. 1 camiseta do Projeto Bibliorodas;
. 2 sacolas do Projeto Bibliorodas;
. 1 Vale-Cultura no valor de R$ 100,00 (cem reais) para ser usufruído em alguma atividade cultural.

DSC07699

O segundo texto que participou do Concurso foi enviado por Romário Oliveira, com o título: Bibliorodas Quixadá. O texto é híbrido, apresenta-se inicialmente como um poema e desenvolve-se com o relato do  enfrentamento da dificuldade de dar continuidade às ações, concluindo-se com uma sincera mensagem de esperança. A densidade e sinceridade das Memórias que chegaram de Quixadá receberão, além do nosso carinho, um prêmio extra.

Prêmio Extra:

kit contendo 1 bolsa do Projeto Bibliorodas e um livro sobre Leitura Literária.

Os prêmios serão enviados ainda em outubro.

Agradecemos a todos que participaram comentando e divulgando as ações das Bibliorodas.

Publicado em Banabuiú, Ceilândia, Quixadá, Quixeramobim, Senador Pompeu | 1 Comentário

Bibliorodas Quixadá. Memória das Expedições em Quixadá.

Bibliorodas Quixadá.

Oh! Esperança…
És crescente
No meio dessa terra quente
Enquanto houver gente
Nos esperando, Valente!
Não pararemos de circular.
Oh! Esperança…
Quando pensávamos em desistir
Alguém gritou dali
Vocês não podem partir
Pois esse projeto aí
Hoje esperança me dá.
Oh! Esperança…
Como podemos pensar
Em desistir de sonhar
Circular, alegrar, voar?
Essa alegria será
Sempre a leitura levar.
Oh! Esperança…
Não pararemos, então.
Pois em todo coração
Tu, esperança, está!
Oh! Esperança

Bibliorodas Quixadá.

(Romário Oliveira)

O mês de Agosto foi um mês de reajuste para os sensibilizadores do Projeto Bibliorodas Quixadá. Há o leitor de lembrar-se do texto compartilhado no Facebook, na página oficial do Projeto Bibliorodas, por um dos seus sensibilizadores: Romário Oliveira. (Esse que vos escreve). Achamos válido que o texto citado seja usado e avaliado nessas memórias do mês de Agosto, já que ele é fruto de toda a trajetória do referido mês.

Caso seja essa a primeira experiência que você leitor tenha com o Bibliorodas ou não teve acesso ao texto anteriormente mencionado, façamos, a seguir, uma análise do referido texto, o qual foi dividido em cinco partes para análise:

A primeira explica como se deu o inicio do projeto em Quixadá: suas idealizadoras, número de participantes, período —

“O Projeto Bibliorodas foi apresentado em Quixadá para um grupo de mais ou menos dez pessoas, essas mesmas pessoas ficariam responsáveis por dar continuidade ao projeto quando suas idealizadoras não estivessem mais presentes. O detalhe é que foi-nos apresentado em período de férias, logo, todos os encontros se deram com todos os participantes presentes, enquanto Edna e Clara estavam nos acompanhando.(…)

Uma segunda parte nos mostra um conflito; uma suposta solução e, na sequência, uma desilusão:

(…) Passado o período de férias o horário de muitos integrantes se chocou, ficando difícil marcar um horário em que todos pudessem participar. Combinamos, então, que dividiríamos dois grupos: um na sexta à tarde e outro no sábado pela manhã, mesmo assim o interesse de muitos foi se esvaindo, prova disso é que, depois que Edna e Clara
se foram aconteceram duas expedições, a primeira no dia 09 de agosto, nesse dia foram para a circulação apenas duas pessoas: Ingrid e eu; Confesso que isso me desanimou bastante. A segunda circulação aconteceu ontem, 23 de agosto*, novamente com apenas duas pessoas: Elizonara e eu. Desanimei novamente, cheguei até a pensar em desistir,(…)

Na seguinte parte temos um relato inspirador de um leitor que foi criando o restabelecimento da esperança, que caminha para a solução do conflito:

(…) mas esse desistir ficou só no pensamento e desapareceu por completo quando, ontem, deparei-me com o relato de um leitor, que nos contou como o livro o qual lera tinha o inspirado de tal forma que o despertou e fez crescer dentro de si uma vontade de mudança. E outros mais que, quando estamos chegando, diziam que já estavam a
nossa espera ansiosos. (…)

Na quarta parte vemos o resultado do relato do leitor: o renascimento da esperança e a lembrança do verdadeiro motivo de fazer parte do projeto:

(…) Diante de relatos como esses é impossível desistir de um projeto que transforma a vida das pessoas. Com o nosso incentivo ganhamos novos leitores e sonhos crescem. Diante da história daquele leitor fui relembrado do real motivo de fazer parte desse projeto: O prazer que o sensibilizador e o público que o mesmo alcança sentem;
prazer esse que senti diante daquele leitor que também sentiu o prazer pela leitura renovadora. (…)

Na quinta e ultima parte temos a conclusão que vem recheada de esperança em um futuro próximo:

(…) E não importa se participam dez, cinco ou duas pessoas, o que importa é que esse lindo projeto continue, pois é indispensável para aqueles a quem já atingiu. E, sim, tenho a certeza de que os outros integrantes não irão desistir, vão apenas procurar um horário em que se encaixem e tudo dará certo.”

Obs: O texto está exposto na sequencia em que foi publicado. Depois da publicação desse texto tivemos mais uma circulação. No dia só puderam comparecer dois sensibilizadores: Ingride e Romário. Mas com bom resultado, afinal, prometemos e descobrimos que quantidade não é mais obstáculo.Houve, também, uma reunião geral, na qual foi decidido um novo dia e horário mais acessíveis para os integrantes; antes na sexta-feira às 14h e agora aos sábados às 9h. Cremos que nessa próxima circulação teremos um bom número de sensibilizadores, devido nossa ultima reunião.

Ficou decidido, também, que quem não pudesse circular com o grupo, permaneceria como membro, mas em outras funções como divulgador e doador de livros por exemplo.Agora é só esperar o sábado chegar para podermos circular nesse novo dia e horário.

Então é isso pessoal, aguardamos ansiosos seus comentários, afinal, estamos concorrendo, hehe.

COMENTEM!!!

Memória enviada por Romário Oliveira, um dos voluntários das Bibliorodas de Quixadá.

Publicado em Quixadá | 19 Comentários

“Tem Jorge Amado aí?” Memória das Expedições em Quixeramobim

Sobre a arte de se levar leitura a estranhos.

A metonímia é uma figura de linguagem que acontece quando empregamos um termo no lugar de outro. A verdade é que “metonizamos” o tempo todo e nem nos damos conta. Já ouvi inúmeros casos engraçados de metonímia, verdadeiras piadas.

Esse auê todo é só para dizer que a metonímia mais bonita que existe é a literária. Um dia desses um leitor mexeu no nosso carrinho e enfaticamente perguntou: “Tem Jorge Amado aí?” Entrei em estado de graça, não pelo escritor baiano, mas pela segurança do leitor. Adoro leitores seguros, que sabem o que quer e buscam solitariamente nas prateleiras – que não tropeçam nas palavras e que quando tropeçam é por diversão. Este mesmo leitor disse que havia comprado um livro de Amado recentemente e estava adorando. Por sorte, nós tínhamos uma obra do escritor de Gabriela, Cravo e Canela, mas ele disse que só levaria o “nosso” livro quando  terminasse o dele. Sábio leitor.

 “Mexeu no nosso carrinho?” Você deve estar se perguntando o que significa essa coisa de carrinho. Pois bem, Bibliorodas é um projeto em duas rodas. A estória é longa e saborosa, mas vou encurtá-la. Não quero correr o risco de o meu leitor sair correndo por falta de tempo ou por preguiça mesmo.

Da criatividade

biblio – biblioteca, livros, sabedoria, conhecimento,transformação.

rodas  –  movimento, circulação, acesso.

Exemplo: O Bibliorodas tem como objetivo despertar o/a leitor/a que existe em cada um de nós. O exemplo pode ter sido brega, mas essa é a verdade. Todos nós somos leitores, mesmo não sabendo decodificar um texto. Lemos gestos, cenas, rostos e tudo o que existe.

Quando chegamos no Mercado da Carne/Mercado Cultural de Quixeramobim, Sertão Central do Ceará, as pessoas nos viram com estranheza. “São da igreja?” “Estão querendo vender livros por aqui?” Nada disso, somos voluntários e amantes daquilo que nos transformou: os livros. Como já disse Caetano “Os livros são objetos transcendentes” e para transcender nada melhor do que tê-los, senti-los, apalpá-los, mesmo que a sua mão esteja suja de sangue porque você estava cortando carne ou com cheiro de cebola porque você estava preparando um suculento caldo. Essa é a nossa proposta, a nossa vontade – somos bibliotecas vivas e levamos livros aos que trabalham o dia inteiro e não tem tempo de ir a uma biblioteca, aos que não se sentem merecedores de tal tesouro (perceba a ironia e a desconstrução do mito) e aos que sempre se sentiram curiosos, mas que nunca tiveram coragem de se aproximar de Clarice Lispector, Graciliano Ramos, Manuel Bandeira, etc e tal.

E de pouquinho em pouquinho nós vamos alcançando os/as leitores/as – alguns já constroem metonímias literárias, outros/as construirão e assim por diante. O combustível do nosso carrinho é infinito e nele “cabem todos os sonhos do mundo”, como um dia falou o poeta.

 

Memória enviada por Mayara Albuquerque, uma das voluntárias das Bibiorodas em Quixeramobim.

Publicado em Quixeramobim | 98 Comentários

Concurso Relâmpago: Memória das Circulações Literárias

IMG_8095
Quem pode participar?

Todos aqueles que participaram das Oficinas de Sensibilização no Ceará e também participaram de alguma circulação durante o mês de agosto.

Como participar?

1.Escreva o relato do que ocorreu nas circulações de agosto. O texto pode ter no máximo uma lauda (página), escrita com margens de 2,5 cm (superior, inferior, direita e esquerda), letra Times ou Arial, tamanho 12, espaço simples.
2. Envie o texto para o e-mail: bibliorodas@gmail.com até às 23h59m, do dia 20 de setembro;
3. Cada município poderá participar com duas memórias. O ideal é que vocês encaminhem os textos por meio de seus “correspondentes”, mas quem quiser encaminhar o texto direto para o nosso e-mail, poderá fazê-lo. Irão concorrer ao Prêmio apenas os dois primeiros textos de cada município que chegarem ao nosso e-mail. Caso cheguem mais de duas memórias, as demais poderão ser postados posteriormente no blog;
4.1. Os textos recebidos, até dois de cada município, serão publicados em nosso blog entre os dias 23 e 26 de setembro.

Quem levará os prêmio?

O texto que tiver recebido o maior número de comentários neste blog será o vencedor.
Serão contabilizados os comentários postados abaixo de cada Memória.
No dia 30 de setembro às 23h59m contabilizaremos os comentários das memórias publicadas.
Os participantes podem incentivar outras pessoas a comentarem, mas para isso poderão utilizar outras redes sociais, como Facebook.

Quais serão as regras para contabilização dos comentários?

1. Comentários que sejam apenas uma palavra ou expressão não contam. Ex. “Concordo”; “Muito bom!”, etc.
2. O autor da memória só terá seus comentários contabilizados no caso de estar respondendo a outros comentários. Ou seja, comentar o próprio texto não vale;
3. Os comentários precisam ser significativos, precisam apresenta ruma ideia de forma clara. Comentário sem sentido não serão contabilizados.
4. Só valerão os comentários feitos neste Blog e abaixo da Memória escolhida para comentar.
5. Em caso de empate as Coordenadoras do Projeto decidirão pelo texto que melhor apresente a circulação das Bibliorodas, considerando: composição textual de uma memória e criatividade.

Qual é o Prêmio?
. Kit contendo 3 livros novinhos utilizados nas Oficinas de Sensibilização de Leitores: “Deixem que leiam.”; “Como um romance”; e mais um à escolha do premiado;
. 1 camiseta do Projeto Bibliorodas;
. 2 sacolas do Projeto Bibliorodas;
. 1 Vale-Cultura no valor de R$ 100,00 (cem reais) para ser usufruído em alguma atividade cultural.

A quem será encaminhado o Prêmio?

-O prêmio será encaminhado para o autor que enviou o texto. No caso de produções coletivas, o prêmio será enviado para a pessoa que nos enviou o e-mail para ser compartilhado entre os autores/participantes. A critério dos próprios autores.

Organizadoras do Concurso Relâmpago: Clara e Edna.
(Ambas com o coração cheio de saudade do Sertão)

Publicado em Banabuiú, Ceilândia, Quixadá, Quixeramobim, Senador Pompeu | 3 Comentários

Ações do Bibliorodas – em Banabuiú

DSC04523

O último município em que foram desenvolvidas as atividades das Bibliorodas no Ceará, recebeu a Oficina nos dias 08 e 09 de julho, ao longo dos dois dias inteiros.

Os leitores inscritos para a Oficina eram professores; funcionários do município e pessoas da comunidade.

Foram dois dias de atividades intensas. Os participantes absorveram com carinho a proposta do Bibliorodas, contribuindo com suas vivências e o resultado foi surpreendente.

DSC04382A leitura das cartas dos leitores da Oficina das Bibliorodas do Distrito Federal pelos leitores do Sertão do Ceará causaram emoção. DSC04378Cada leitor lia, em voz alta, a carta enviada a ele… foram os mais diversos comentários, tipo “há quanto tempo eu não recebia uma carta …. saudades de receber cartas¨.

 

DSC05247

O local escolhido para a Circulação partiu do próprio grupo. No Sertão do Ceará, “a feira livre” está em vários pontos de cada município.

DSC06286DSC06321Pode estar na Praça da Igreja Matriz, na Fábrica de Calçados, ou no Comércio Local. Em Banabuiú, um dos locais foi a Praça da Igreja Matriz. Sim, a feira de pessoas se formou ali, logo após a missa. Eram inusitados naquele espaço: os leitores, os carrinhos, os sensibilizadores de leitores. A feira livre do Bibliorodas aconteceu como uma grande novidade.

DSC04594No Comércio, encontramos leitores de Carlos Drummond, Clarice.

 

 DSC04661

Os Sensibilizadores de Leitores organizaram um lindo evento na Praça Central do Município.

Tudo aconteceu com significativa participação de todos – sensibilizadores e comunidade. Banda de Música,

IMG_7819
Varal de Poesias, Sorteios de Livros, Leitores e Sensibilizadores foram o cardápio literário do evento. Na praça do povo foi dada a notícia que Banabuiú contava com IMG_8019o Bibliorodas para levar livros até os leitores.

Publicado em Banabuiú | Deixe um comentário