7ª Expedição: Se achegue, leitor!

Nas primeiras expedições o leitor estava e permanecia do lado de dentro das bancas e nós do lado de fora. O encontro acontecia ali: nós do lado de cá, o leitor do lado de lá. Agora, tudo mudou. O leitor, ao avistar nossos carrinhos de livros, sai da banca para ir ao nosso encontro. Estamos próximos, bem mais próximos. Foi assim que percebemos o clima da expedição do dia 25 de agosto.

mail.google.com

A cada expedição, os leitores vão se achegando. Uma senhora que nos viu passar várias vezes e nunca havia correspondido às nossas ofertas, dessa vez veio ao nosso encontro.  Há sempre começos de novas histórias. Hoje a história com essa leitora começou.

Na 7ª Expedição das Bibliorodas no Shopping Popular de Ceilândia muitas coisas aconteceram. No entanto, uma chamou muito nossa atenção. Nós já íamos passando, passos rápidos por um corredor. Havíamos passado pela banca de um senhor, muito sisudo, sentado. Mas a Margareth, que nos acompanhava hoje, pela primeira vez, vinha atrás e, muito simpática, abordou o tal senhor de “cara feia”, oferecendo um livro. Diminuímos o passo, esperando que ela levasse um “fora”, mas qual não foi a nossa surpresa, o senhor iniciou uma conversa tímida, e logo começou a sorrir.Ao ser tocado pela oferta empolgada do livro, ele respondeu:

“É bom, né???”  E a conversa fluiu. Mostramos alguns títulos,DSC07328 mas ele pediu um livro que tivesse relação com História e escolheu um texto em versos com o seguinte título: “A Descoberta do Brasil”. A foto tirada pela Edna mostra o nosso novo leitor de costas. Quem está sorrindo é a Margareth. O sorriso da Margareth contagiou o nosso novo amigo leitor.

Cada foto tirada nas expedições releva um pouco do nosso trabalho. São os cantos e encantos de um processo de descobrimento… As pessoas, as prateleiras cheias de calças, calcinhas, o trânsito das
pessoas, o vai-e-vem dos livros.

“Cada vez que chego das expedições literárias, sinto necessidade de ler as fotos registradas ao longo das expedições. Elas são ricas em  imagens e não encontro as palavras capazes de decifrar tanta poesia.”  (Edna Freitas)

Equipe: Clara, Edna , Kelly e Margareth.

Anúncios
Esse post foi publicado em Ceilândia. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s